ANTENA  MONOBANDA TIPO “BAZOOKA”.

BY PY6LA – LAURO LIMA

 

ANTENAS    MONOBANDA   TIPO  “BAZOOKA”

 

 

( NOTA: Não confundir as Antenas Bazookas com as “Antenas Invisíveis”.  As antenas conhecidas como INVISÍVEIS possuem comprimentos diferentes, embora a construção; a sintonia e a operacionalidade de ambas sejam  semelhantes.)

 

Materiais e acessórios utilizados  nos modelos  construídos:

 

Modelo 01 - Cabo Coaxial RG213 - 50 Ohms (grosso);

Modelo 02 - Cabo Coaxial RG058 - 50 Ohms (fino)

Modelo 03 - Cabo Coaxial RG058 + Fita para antena de TV de 300 Ohms, nos

extremos ( sistema misto).

Isoladores laterais:  Porcelana e “estais” de fio de Nylon  No. 200  (Ø 2mm)

Isolador Central :  Porcelana ou vidro. Alem disso protegemos as ligações  e  as soldas com Fita Isolante para Alta Tensão, de alta fusão e colocamos uma alça de material isolante (Nylon 200), no centro da antena, cuja alça tem  duas funções: a primeira, reforçar e proteger, mecanicamente, as ligações elétricas e isolantes e, a segunda, construir uma a alça de erguimento da antena para instalação em “V” invertido, puxado ao topo  do mastro por cordas  ou fios resistentes de Nylon, como se estivéssemos hasteando uma  bandeira.

ATENÇÃO: Todas as ligações devem ser soldadas e isoladas com material que não conduza radiofrequência.  As chapas e tubos de PVC;   e   as resinas à base de Epox  são péssimos isolantes para radiofrequência, por isso, aconselhamos as fitas isolantes de Alta Tensão e alta fusão fabricadas pela  Pirelli ou pela 3M  ou, ainda,   borracha  de Silicone tipo Silastic, sendo a primeira mais fácil para usar e mais resistente  às intempéries.

 

Umidade: Como todos sabem, a umidade é a inimiga número um dos sistemas de transmissão e irradiantes dos equipamentos de radiocomunicação.  A oxidação dos sistemas irradiantes provocados  por uma má vedação nas emendas, bobinas, soldas, fios,  cabos e malhas dos coaxiais, etc; bem como,  a degeneração das faces polidas dos fios dos  dipolos e das varetas de alumínio das antenas, são responsáveis, talvez, por 15 ou até 30%, de perdas na recepção e na transmissão das mesmas. Por esta razão, as antenas dipolos devem  ser construídas com fios encapados, na côr preta (a qual resiste mais a ação do sol )  e os locais de possíveis emendas; conexões e terminais de fios, cabos e varetas de alumínio, devidamente, vedadas  fita de alta fusão para alta tensão, não condutora de energia  elétrica e de radiofrequência.

Nas antenas verticais, construídas com tubos e varetas de alumínio,  deve-se prover de extravasores de água para evitar a acumulação da mesma, dentro  dos elementos irradiantes.                 

Cabo de descida : Deve ser idêntico ao cabo de utilizado na construção da Antena, ou seja, se a antena foi construída com cabos de 50 Ohms,grosso  ou fino, a descida deve ser de 50 Ohms. Se, por acaso, foi construída com cabos de 75 Ohms, a descida deve ser de 75 Ohms, também, LEMBRANDO-SE  o construtor que as fórmulas apresentadas adiante, são com base em cabos de 50 Ohms;com velocidade de propagação de 66%  e perdas máximas de 5%. Caso se utilize cabos de 75 Ohms, os valores encontrados nas fórmulas destinadas aos cabos de 50 Ohms devem  ser reduzidos em 5%.

Polarização: As Antenas Bazukas (ou Bazookas) podem ser polarizadas em forma de “V” invertido, sendo esta a  mais recomendada; ou na horizontal ou, ainda, na vertical. Sob qualquer hipótese, os cabos de descida devem correr paralelos aos irradiantes.  Eles devem descer o mais vertical possível para evitar servir como elemento fantasma ao sistema irradiante.Vide desenhos D-01 e D-02  adiante.

 

Altura da Antena: Embora já tenha testado as Antenas Bazukas com várias alturas recomenda-se que qualquer antena  seja  instalada com o  centro irradiante a partir de 12 metros de altura.Por norma e para evitar radiointerferências, a altura dos sistemas irradiantes devem ser em torno de 20 metros de altura. Os extremos das  antenas em “V” invertido não devem  ficar a uma altura inferior a 3 metros do plano refletor, (telhados, terra; etc),  embora, como dissemos antes, já instalamos os extremos dos dipolos com altura  de 45 cm do solo, sem notarmos  alterações dignas de registro. Lógico está, que o rendimento das antenas é prejudicado com a  proximidade excessiva de árvores; paredes; telhados; lajes de concreto armado; outras antenas;  radiais e/ou  “estais” metálicos de torres e mastros;  cercas de arame; altura diferente dos múltiplos do comprimento da onda radioelétrica de sintonia; etc.

Ângulo do “V” Invertido: As antenas  Bazukas sintonizada sem forma de “V” Invertido  devem respeitar uma abertura que varie entre 110 e 140 graus. Estas antenas  irradiam  muito bem omnidirecionalmente, nestas condições.

OBSERVAÇÃO: Nos comprimentos calculados das Antenas Bazukas as quais, são essencialmente,  MONOBANDAS  devemos deixar um excesso de, mais ou menos, 20 ou 25 centímetros  (Item D), entre o final da seção C e os isoladores laterais, em cada extremo do dipolo, destinados à amarração dos isoladores laterais  e à SINTONIA  da mesma. Diminuindo-se  ou aumentando-se estes extremos deixados apenas  com o “vivo” do próprio coaxial, nos  possibilitará a sintonia  da antena.  (Vide desenhos).

Fita 300 Ohms: O uso de fitas de 300 Ohms destinadas às descidas das antenas de TV, na construção das Seções “C” das Antenas Bazukas devem ser  observadas com cuidado devido a sua fragilidade natural e não porque venha trazer problemas no rendimento das antenas.  As fitas de TV não suportam os esforços mecânicos, peso próprio; pressão do vento ,etc que  cabos coaxiais suportam.       

 

 

CÁLCULOS DAS ANTENAS BAZOOKAS

CABOS COAXIAIS DE 50 OHMS COM VELOCIDADE DE PROPAGAÇÃO DE 66%

 

 

Todos os dipolos de ½ onda  são formados por dois seguimentos de ¼ de onda, cada e os cálculos são, extremamente simples, para qualquer tipo de antena, inclusive para VHF; UHF: SHF, etc.

 

ATENÇÃO:  PARA ANTENAS “V” INVERTIDO USA-SE AS SEGUINTES FÓRMULAS:

Comprimento  total: A = 140,21 : mhz = ... m . PARA  O  STUB CENTRAL: B = 98,97 : MHz = ... m 

E PARA  OS  BALUNS  LATERAIS  C = A – B : 2 = ... m .

PARA ANTENAS HORIZONTAIS  E/OU  VERTICAIS usa-se AS FÓRMULAS ABAIXO:                         

cOMPRIMENTO TOTAL: a = 142,65 : MHz = ... m.  PARA O   STUB CENTRAL:  b = 99,06 : MHz = ... m     

E  PARA OS BALUNS LATERAIS:  C = A – B : 2 = ... m.

EXEMPLOS DE CÁLCULOS  PARA ANTENAS HORIZONTAIS E/OU VERTICAIS:

 

EXEMPLOS  PRÁTICOS:

 

1.o) -  CÁLCULO DE UMA ANTENA BAZUKA PARA 80 METROS - FREQUÊNCIA MÉDIA 3,70 MHz

A= 142,65  : 3,70 = 38,55 metros que corresponde ao Comprimento Total. (Acrescer mais 20 ou 25 cm de

cada lado para os ajustes e a amarração os isoladores laterais – Seção D*)

B = 99.06 : 3,70 =  26,77 metros  que corresponde ao Stub Central

C = 38,55 - 26,77 : 2 = 5,89 metros,  para cada lado que correspondem aos Baluns Laterais

·         ·         ATENÇÃO PARA OS DOIS COMPRIMENTOS  “D” DESTINADOS À SINTONIA E À AMARRAÇÃO DOS ISOLADORES LATERAIS. ÊLES DEVEM SER A CONTINUAÇÃO DO “VIVO” DO COAXIAL COM O QUAL SE CONSTRUIU A ANTENA, COM  A  CORRESPONDENTE   ISOLAÇÃO ORIGINAL (SEM A  MALHA DA  BLINDAGEM)

NÃO ESQUECER DE VEDAR, CONTRA UMIDADE E A OXIDAÇÃO, AS EXTREMIDADES DA ANTENA, LOGO APÓS SINTONIZA-LA.

 

2.o)  - Seguindo as mesmas fórmulas, os valores para uma antena de 40 m / 7,10 MHz são:

A= 20,09m  (+ 20 a 25 cm de D)      B= 13,95m e C= 3,07m, cada.

3.o)  - Para uma antena destinada à faixa de 20m / 14,175 MHz:

A= 10,06 m  (+ 20 a 25 cm de D)      B= 7,00m  e C= 1,53 m, cada.

4.o) -  Para uma antena destinada à faixa de 15m / 21,25 MHz:

A= 6,71m  (+ 20  ou 25 cm de D)      B= 4,67m  e  C= 1,02 m, cada.

5.o) -  Para uma antena destinada à faixa de 10m / 28,40 MHz:

A= 5,02 m (+ 20 ou 25 cm de D)      B= 3,48m  e  C= 0,76 m, cada.

6.o)  - Para uma antena destinada à faixa de 2m / 146MHz:

A= 0,98 m  (+ 20 a 25 cm de D)       B= 0,68m  e  C= 0,15m, cada.

 

(Estas antenas quando usadas para VHF ou UHF, normalmente, são polarizadas verticalmente, por isso devem ser montadas dentro de tubos de 20mm de PVC ou fibra de vidro,  devidamente lacradas e isolada com fita de alta fusão para Alta Tensão, para protegê-las e mantê-las firme, na posição vertical.  (Vide desenhos).

 ATENÇÃO: NAS  ANTENAS  POLARIZADAS  VERTICALMENTE  NÃO  ESQUECER  DE  DEIXAR  QUE  A   PARTE      

                            ENERGIZADA    PELO  “VIVO”  DO  COAXIAL VINDO DO TRANSMISSOR  SE  POSICIONE   VOLTADO  PARA   BAIXO, OU SEJA,   PARA  O  SÓLO.

 

 

 

 

ANTENA BAZOOKA  &  ANTENA INVISÍVEL 

PY6-LA LIMA

 

 

 

A ANTENA  “BAZOOKA”  DIFERE  DA  ANTENA “INVISÍVEL” APENAS NOS VALORES REFERENTES AOS COMPRIMENTOS DAS SEÇÕES “A”  “B”  E  “C”.  Os demais dados construtivos; de instalação e sintonia são, rigorosamente, iguais. As fórmulas para cálculos constantes desta folha são inerentes às antenas Bazookas..

Antena Invisível – Vide Revista 73 Magazine pg. 82  de Abril/1981.  (PY6LA – 13 de julho de 1999)

ATENÇÃO: QUANDO  FOR  CALCULAR  ANTENAS   “V”  INVERTIDO  USE  AS  SEGUINTES  FÓRMULAS:

A= 140,21: MHz  = ...m    E    B = 98,97 : MHz = ...m   PARA AS ANTENAS HORIZONTAIS  E VERTICAIS  MANTER AS FÓRMULAS  ORIGINAIS :  A = 142,65 : MHz = ... m   E   B = 99,06 : MHz = ...m